HABILITAÇÕES ACADÉMICAS

2014 . Doutoramento em Arte e Design, pela UP, com a Dissertação –ROTAS DE MEMÓRIA– A Árvore e a Madeira, Relações na Prática Escultórica, com orientação do Escultor Professor Carlos Barreira.

2004 . Obtenção do grau de mestre com a dissertação “Escultura Urbana-Arquitetura Urbana, Encontros/Desencontros – Pontos de Tensão”, no âmbito do Mestrado Arte e Comunicação – Teorias do Desenho, Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, com orientação do Professor Doutor Hélder Gomes.

1992 . Licenciatura Artes Plásticas-Escultura, Escola de Belas Artes da Universidade do Porto.

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL ACADÉMICA

2014/19 . Exerce funções de docente, na categoria de Professor Auxiliar, na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. 

Membro colaborador do I2ADS - Instituto de Investigação em Arte, Design e Sociedade.

2000/04 – 2004/14 . Exerce funções de docente, na categoria de Assistente e na categoria de Assistente Estagiário, na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. 

ARTISTA PLÁSTICO

2019 .

  • Exposição coletiva: PARES, da 3ª. BIENAL INTERNACIONAL DE ARTE DE GAIA, Participação com Kinga Ogórek com a peça: Projeto Casa. Quinta da Fiação de Lever, Portugal. Curadoria de Norberto Jorge e Rui Ferro.

  • Exposição coletiva: Artista Convidados da 3ª. BIENAL INTERNACIONAL DE ARTE DE GAIA, 2019. Participação com a peça: Voos em silêncio - Memória. Casa-Museu Teixeira Lopes - Galerias Diogo de Macedo. Curadoria de Agostinho Santos.

  • Exposição coletiva: Paz e Refugiados, da 3ª. BIENAL INTERNACIONAL DE ARTE DE GAIA, 2019. Participação com a peça: Corpos de dor – voo do silêncio. Quinta da Fiação de Lever, Portugal. Curadoria de Ilda Figueiredo e Mirene.

2018 .

  • Exposição coletiva: Gota a Gota. CHARITAS CHRISTI URGET NOS – MOVIDOS PELO AMOR DE DEUS. Curadoria: Bruno Marques, Mosteiro de São Salvador de Grijó. Vila Nova de Gaia. 

2017 .

  • Exposição coletiva: CENTRIFUGA… Escultura, da 2ª. BIENAL INTERNACIONAL DE ARTE DE GAIA, 2017. Participação com a peça: Sensibiliser–Lote.2,16: Parcela.6; Caminho. Antigas Instalações da Coats & Clark, Gaia. Curadoria de Norberto Jorge e Rui Ferro.

  • Exposição coletiva: Artista Convidados da 2ª. BIENAL INTERNACIONAL DE ARTE DE GAIA, 2017. Participação com a peça: Silêncios de Corpos em Viagem. Antigas Instalações da Coats & Clark, Gaia. Curadoria de Agostinho Santos.

  • Exposição coletiva: Eu e Ela. Exposição MATER DE IMATER ECCLESIAE. 2ª. Bienal Internacional de arte de Gaia, 2017. Mosteiro de São Salvador de Grijó. Vila Nova de Gaia. Curadoria: Bruno Marques.

  • Exposição coletiva: ARTE CONTEMPORÂNEA. Participação com a peça: Essência - Silêncios, Casa Branca de Gramido, curadoria de Agostinho Santos.

PRÉMIOS

2018 . 1º. lugar no concurso do Objeto Público – Escultura Hospital da Prelada, para os Jardins do Hospital da Prelada, Porto.

1996 . 1º. lugar no II Concurso Nacional de Jovens nas Artes. Parque de Exposições e Congressos de S. João de Madeira.

1994 . 2º. lugar no I Concurso Nacional de Jovens nas Artes Tendência da Arte Contemporânea Portuguesa. Fórum da Maia, Maia.

1992 .

  •  1º. lugar para o Troféu para a Associação Industrial Portuense

  •  1º. lugar na V Semana da Pedra-Parque Natural da Serra de Aire e Cand

OBRAS PÚBLICAS

2015 . Intervenção Escultórica pública, “Tempos Ingénitos” – No pátio interior da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto.

2014 . ÁGUA, Jardim das Oliveiras, segundo cartoon intitulado “Garrafas de Plástico”, do artista Diego Herrera, do Canadá, vencedor do Grande Prémio, subordinado ao tema “Água Viva, Terra Viva”, organizado pelo Museu Nacional da Imprensa, Porto. XVI-16ª Porto Cartoon-World Festival, Porto.

1998 . Oliveira – Homenagem, no Jardim de Sinçães, Famalicão.

1992 . A Serra e Eu, no Castelo de Vila Nova de Ourém

PROJECTOS ARTÍSTICOS E CURADORIAS

2019 . PARES, Exposição da 3ª. BIENAL INTERNACIONAL DE ARTE DE GAIA, 2019. Quinta da Fiação de Lever, Portugal. Foram expostas obras de: Ana Almeida Pinto e Tiago Fróis; Ana Fernandes, Emília Alírio e Carlos Barreira; Bárbara do Carmo e Carlos Arteiro; Isabel e Rodrigo Cabral; Joana Paradinha e Pedro; Kinga Ogórek Jorge e Norberto Ogórek Jorge; Marta Lima e Rui Ferro; Sara Carneiro e Luiz Santos [Moçambique]; Sarah Fitzsimons e José Carlos Teixeira [EUA]; Sofia Barreira e Nuno Prata;

2018 . BUCHA – Exposição coletiva – MAP ESCULTURA na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Coorganização e cocoordenação da FBAUP - SECOND CHANCE - Residências FBAUP nos Armazém de Sta. Clara. Integrado no programa europeu “UrbAct” (em parceria com a Câmara Municipal do Porto, Porto Lazer e Porto Vivo) as Residências Artísticas “Second Chance: FBAUP no Armazém de Sta. Clara”.

2017 . CENTRIFUGA… Escultura, Exposição da 2ª. BIENAL INTERNACIONAL DE ARTE DE GAIA, 2017. Antigas Instalações da Coats & Clark, Gaia. Foram expostas obras de: Bárbara do Carmo; Carlos Arteiro; Carlos Barreira; Carlos Marques; Daniel Gamelas; Fernando Nobre; Inês Osório; Marco Fidalgo; Norberto Jorge; Pascal Ferreira; Patrícia Oliveira; Rui Dias; Rui Ferro; Zulmiro De Carvalho; 

Screenshot 2019-09-13 at 6.22.56 PM.png

GOTA a GOTA , 2018

 

Dimensões: 180cm x 50cm x 40cm

Materiais: Água, Pedra, Vidro, Metal.

Screenshot 2019-09-13 at 6.21.52 PM.png
Screenshot 2019-09-13 at 6.22.05 PM.png

PROFESSOR DOUTOR

NORBERTO JORGE

Das imensuráveis viagens que fiz, tanto no campo da produção de objetos artísticos, como na investigação conceptual, fica a noção de que o que fica visível da obra é uma pequena parte. Pensamentos, ideias, conceitos estão submersos nos bastidores do pensamento e do fazer.

Norberto Ogórek Jorge, escultor e docente investigador, na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, ao longo do seu percurso como escultor tem produzido trabalhos artísticos em diferentes substâncias que lhe permitiram ampliar o conhecimento com as matérias que incorpora nos corpos escultóricos das suas obras. O seu percurso artístico tem privilegiado as relações sensoriais com as matérias naturais. O seu caminho tem tornado visível a importância do lugar do atelier/oficina como espaço expandido da produção e da conceção.
“São vários os agentes identitários com os quais me encontro, procuro ou encontram-me. São as dimensões que transportam no seu âmago, a identidade pessoal e a identidade cultural, simbolizadas na Árvore, na Pessoa e no Outro. Não são eles inertes, estéreis seres que me permitem a apropriação e imaculada criação. Eles são contentores de simbologias culturais e de vivências pessoais e é esta dimensão que permite que o meu projeto encontre sentido.”

in Rotas de Memória, p. 26